sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Crônicas Cronificadas - A festa

A festa...

"Todos estavam eufóricos, ia começar...

A ansiedade entrou correndo;
O receio entrou devagar;
A ganância com a cabeça curvada e olhando por debaixo das sobrancelhas, maldosa deu um sorriso;
A raiva nem ligou para ninguém estava com muita raiva;
A mágoa estava ali parada, olhando para alguém, pensando que não merecia o que esse alguém lhe havia feito;
O pânico desesperado, olhando para todos os lados, procurava um abrigo;
A ignorância, muito ignorante...;
A agressividade nem pediu licença, foi empurrando a todos para ficar bem na frente;
A passividade, pé ante pé, veio de mansinho e ficou na beira da porta atrás de todos para que ninguém a visse;
O ódio veio determinado a não conversar com ninguém;
O terror entrou assustando a todo mundo, porque isso é o que ele melhor faz;
Tocou a sineta...
Todos ficaram em pé, parados...
O senhor de todos, entrou silenciosamente com vários acompanhantes, para anunciar o início da festa, cujo nome foi escolhido séculos antes.
A todos os presentes dou início a nossa festa mensal, já conhecida pelo mundo inteiro como: "A festa dos medos"...
Todos gritaram desesperados, ao mesmo tempo em que batiam palmas. Esqueci...
Você também é convidado!"

(Crônicas Cronificadas - A festa de Moisés Esagui)

Nenhum comentário:

Postar um comentário