terça-feira, 14 de outubro de 2014

Crônicas Cronificadas - O Notol


O Notol

"Era época de natal, eu gostava, minha mãe falava coisas bonitas, contava histórias do Papai Noel, dizia que era só eu pensar qual presente que queria, que o Papai Noel já sabia.
Havia na rua paralela, exatamente dando fundos para minha casa, a casa do meu amigo Fernando, eu gostava do Fernando. Era magrinho, não gostava de mentiras.
O irmão dele, o Hélio, estava sempre com ele, e eu com eles. Ficávamos inventando historias e rindo. Sentados na beira da calçada, falávamos de cada pessoa que passava à nossa frente, sempre comentários zombeteiros. O Fernando era bom nisso, porém tinha certa dificuldade para falar, pois além de ter o lábio leporino, era um pouco fanho.
Bom, lá estávamos nós sentados um ao lado do outro, quando se aproxima lentamente um caminhão com uma grande árvore de natal sobre sua carroceria, com várias pessoas  dançando e sorrindo vestidas de Papai Noel.
Um aparelho de som fazia parte da performance, todos que estavam na rua voltaram sua atenção para o evento, mas ninguém teve uma atitude tão festiva quanto meu amigo Fernando. Repentinamente, levantou-se, como se tivesse tomado por um espírito de escola de samba, e apontando para o caminhão disse:
-Árvore de Notol!, Árvore de Notol!.
Notol? pensei comigo, caramba nunca havia visto uma, uma arvore de Notol. Imediatamente comecei a procurar, na sabedoria dos meus oito anos de idade, e até para não passar por ignorante, a diferença de uma árvore de Notol para uma árvore de Natal.
Olhei aquela árvore sobre o caminhão minuciosamente, tintin por tintin, nada, nada de diferente. Como uma árvore de Notol poderia ser tão parecida, tão igual, a uma árvore de Natal. Olhei de novo. Olhei outra vez, escaneei cada detalhe, nada, nadinha. Me senti incompetente, enquanto ao meu lado o Fernando deslumbrado conseguia sem o mínimo esforço, olhar e ver a sensível, a imperceptível diferença entre uma árvore de natal e uma arvore de notol, entrei em desespero.
- Fernando, qual é a diferença entre uma arvore de natal e uma arvore de notol?
-Notol?
-Sim, qual a diferença?
Fernando olhou para mim com o rosto vermelho, parecia raiva, e disse:
-Notol!, Notooool!, Notoool!

Daquele dia em diante, o meu amigo Fernando já não era o mesmo.

Três anos depois, em um momento de reflexão, olhando a imagem santificada de um Buda feito de parafina, com um pavio na cabeça, descobri! Uma árvore de Natal era a mesma coisa que uma árvore de Notol, depende só de quem fala."

(Crônicas Cronificadas - O Notol de Moisés Esagui)




Nenhum comentário:

Postar um comentário